segunda-feira, 11 de julho de 2011

Sílvio Brito

                                     Sílvio Brito

"Experimenta ligar para uma rádio e pedir uma música. Você não pode escolher a música que você realmente quer. Você tem de escolher entre aquelas canções que estão na programação da rádio. As coisas são impostas de baixo pra cima. Ora, isso é a mercantilização da arte!"
Sílvio Brito

"Eu, felizmente, não paro de fazer shows, mesmo sem tocar na televisão ou no rádio. O Benito de Paula é outro que vive bem sem a mídia. Acho que, na verdade, é a grande mídia quem está desconectada do gosto popular. A audiência dos programas musicais de televisão despencaram dos anos 1980 para cá"
Sílvio Brito
[ Fonte (frases): Blog - zelmar.blogspot.com ]

Nome completo: Sílvio Ferreira de Brito
Nome artístico: Sílvio Brito
Codinomes: O "Rouxinol do Sul de Minas", "Rockeiro Irreverente", "Compositor da Loucura", "Poeta da Loucura e da Paz"  e "ET de Varginha"
Data de nascimento: 10/02/1952
Local: Três Pontas/MG
Gêneros: Popular, Música-Mensagem, Pop Rock, Regional e MPB


BIOGRAFIA

Sílvio Ferreira de Brito (Três Pontas/MG, 10 de fevereiro de 1952) é um cantor brasileiro.

Nascido em Três Pontas, aos seis meses de idade mudou-se para Varginha/MG, começando sua carreira nessa época ao cantar na Rádio Clube de Varginha, em um programa chamado Petizada Alegre. Ainda na adolescência passou a compor músicas gravadas por cantores como Ronnie Von, Antônio Marcos e Vanusa.

Em 1974 ganhou o troféu Buzina do Chacrinha de cantor revelação e no ano seguinte já era conhecido em todo o Brasil. O seu primeiro sucesso "Tá Todo Mundo Louco" foi lançado no Programa Sílvio Santos. Tinha uma letra longa, na qual ele já se antecipava e dizia que poderiam achar a canção parecida com a de Raul Seixas (estava se referindo a canção Ouro de Tolo).

Outros sucessos no estilo "louco", que passou a ser sua marca registrada, foram "Pare o Mundo que eu Quero Descer" e "Espelho Mágico", cujo refrão perguntava se Havia alguém no mundo mais louco do que eu?. Sucessos que inclusive embalavam o Programa Sílvio Santos nas memoráveis tardes de domingo, com o programa "Qual é a Música?" da extinta TVS (TV Studios), atual SBT (Sistema Brasileiro de Televisão), onde diversos cantores também estiveram à época como Ronnie Von, Dudu França, Marcelo, Gretchen, Nahim e outros.

Silvio Britto também dedicoua-se à música religiosa, produzindo e arranjando diversos discos do Padre Zezinho de quem é amigo pessoal. Silvio também compôs e gravou várias músicas mensagens e com motivos religiosos que fizeram sucesso como "Terra dos meus sonhos", "Uma luz" e a regravação de Utopia, do Padre Zezinho.

Entre os prêmios que ganhou, estão quatro discos de ouro, e els se apresentou nos principais programas de televisão. Ao longo de sua carreira, teve três milhões e meio de discos vendidos. Atualmente[carece de fontes] se divide entre espetáculos e sua participação num programa de rádio apresentado por Paulo Lopes.

Em 2007 foi o vice-campeão do Programa Rei Majestade (SBT), apresentado por Sílvio Santos, embolsando 60 mil reais e a participação em quatro faixas do CD do programa.

[ Fonte: Wikipédia, a enciclopédia livre ]




REVISTA CONTIGO - 1978 / Sílvio Brito - Um Tímido Imprevisível e Sonhador

Sonhador e de temperamento imprevisível (ele ás vezes é calado e em outras ocasiões fala demais) geralmente se emociona quando relembra fatos de sua infância.

Sílvio foi criado em Varginha/MG, onde conserva até hoje os amigos e costuma passar seus momentos de folga ao lado da mãe, dos irmãos e da irmã. Da infância do interior, Sílvio guarda boas recordações.

Na infância, devido a sua inquietação, ganhou o apelido de "Tico-Tico". Quando pequeno trabalhava como engraxate e ainda arranjava tempo para tocar trombone na banda da cidade. Foi assim que SB aprendeu música. Antes de se tornar cantor profissional, porém, fez parte de um conjunto, Os Apaches, durante 7 anos.

Depois do sucesso alcançado  com a primeira música, "Tá Todo Mundo Louco" (1974), SB gravou mais de 50 canções. Algumas delas são muito significativas para o cantor: "O Que é Meu é Teu" ( gravada por Vanusa), Roseane (por Ronnie Von), "Faça o Que Você Quiser (por Antônio Marcos), além de seus mais recentes sucessos: "Pare o Mundo Que eu Quero Descer", "Casinha" e "Espelho Mágico".

Festivais
Com a música "Companheiro", ele venceu o Festival de Piriápolis, no Uruguai, em 1977. Na Argentina, interpretando "Cuando la Mañana Llama", SB levou também o primeio prêmio. Além dessas vitórias, o moço vai juntando várias outras através da sua carreira artística, como a conqusta do Disco de Ouro, oferecido pela gravadora Chantecler, e também vários troféus que costuma ganhar das emissoras de rádio.

Depois que suas músicas estouraram nas paradas de sucesso, SB não parou de receber convites para excursionar dentro e fora do País. Ele confessa que gosta muito dessas excursões e se lembra, com carinho, de uma vez que viajou para a Venezuela onde a sua múscia "Pare o Mundo Que eu Quero DEscer" fez o maior sucesso.

Outra viagem importante que fez foi para os EUA. Se apaixonou por uma amearicana que conheceu em São Paulo e quando ela retornou para os States ele foi atrás. Ficou 6 meses lavando pratos numa lanchonete para se sustentar. Mas o amor acabou e ele voltou para se ocupar com a carreira, á qual dedica toda sua paixão.

Nome completo: Sílvio Ferreira de Brito
Data de nascimento: 10/02/1952
Local: Três Pontas/MG
Cor dos olhos: Castanhos
Medidas atuais: Altura-1,72 m./Peso- 64 kg / Manequin-44
Profissão: Cantor e compositor
Prato: tutu de feijão
Passatempo: Música
Hobby: Colecionar chaveiros
Apelidos: "Peninha" e "Tico-Tico"

Frases:
"Quando criança, acalentei os sonhos de um dia ser toureiro e o de fugir com um circo. Não consegui realizar nenhum deles. O de toureiro ja desisti, mas o de fugir com um circo ainda espero realizar. O circo é a coisa mais bonita do mundo"
Sílvio Brito

"Fui muito influenciado por ivon cury, Joselito, Neil Sedaka e também pelos Beatles e Roberto Carlos. Humberto de Campos, divulgador da gravadora Chantecler na época, foi quem me deu a grande oportunidade. Com ele gravei "Tá Todo Mundo Louco", que teve uma grande repercussão e me valeu um convite da TV Tupi para comandar, ao lado do Fábio Jr., O musical Aleluia (1975)"
Sílvio Brito

[ Fonte: Revista "Contigo", 1978 ]




POR ONDE ANDA ? / Sílvio Brito, Ícone da Irreverência dos Anos 1970
Por Bárbara Duffles (Do EGO, São Paulo/SP) 

Autor de sucessos como "Tá todo mundo louco", "Pare o Mundo que eu quero descer" e "Espelho Mágico" não tem mais medo do assédio e brinca: "Pode me agarrar!".

Os refrões de suas músicas caíram na boca do povo. Viraram bordões populares, temas de novela, foram citados em programas de TV, e ainda hoje seus ecos são ouvidos por aí. Rei da irreverência nos anos 70, o cantor Silvio Brito continua ativo, fazendo shows toda semana pelo Brasil e, eventualmente, no exterior. Se antigamente precisava fugir porque as fãs queriam agarrá-lo, hoje, mais de três décadas depois, ele brinca: “Pode agarrar, minha mulher está longe!”.

Com a mesma alegria que marcou suas músicas, este mineiro de 56 anos concede uma entrevista ao EGO, e diz que sente falta do passado, mas não o quer de volta. “Não se vive direito antes dos 30 anos. É muita ansiedade”.

Entrevista

EGO - Com tantos anos de carreira, continua fazendo muitos shows? 
SÍLVIO BRITO - Faço shows toda semana. Costumo me apresentar no interior do Rio, de São Paulo, em Santos, Minas Gerais. Faço excursões de três meses pelo Nordeste. Também faço shows fora do país de vez em quando. Nos últimos anos já cantei nos Estados Unidos, em Portugal, na Espanha, na Itália. 

EGO - E como é a recepção do público nos seus shows? 
SB - É maravilhosa. Os pais falam de mim para os filhos, despertam a curiosidade dos mais jovens. Então o show tem tanto um público mais velho como mais novo também. Hoje à noite vou fazer um show para 1.500 pessoas. E a internet também está tendo um papel muito importante na divulgação das minhas músicas. No You Tube tem vários vídeos, é impressionante. 

EGO - Foi você que colocou? 
SB - Eu não, nem sei lidar com computador! (risos) Foram fãs meus que quiseram fazer uma homenagem. Fiquei muito feliz quando vi. 

EGO - Qual foi a maior plateia que você já teve? 
SB - Foi em Brasília, em 1976. Cantei para 100 mil pessoas. Eu tinha lançado o álbum “Pare o mundo que eu quero descer”. Estava na época da ditadura e fui proibido de cantar. Acharam que era música de protesto, mas não foi feita com essa conotação. Mas o pessoal ficava doido quando ouvia. 

EGO - Falando em doido... E seu grande sucesso, "Tá todo mudo louco"? 
SB - Também foi censurada. Em algumas cidades eu não podia cantá-la. Mas depois, quando liberaram, eu cheguei a fazer palestras e shows em hospícios, clínicas de recuperação. E a música virou jingle da Rádio Globo e tocou também nos programas do Chico Anysio e dos Trapalhões. 

EGO - Se nos anos 1970 você já achava que todo mundo estava louco, o que pensa das pessoas de hoje? 
SB - Hoje ainda existem alguns normais. Mas eles estão nos hospícios e nas emissoras de rádio e TV. (risos) 

EGO - Você costuma dizer que passou por três vertentes em sua carreira. Foi irreverente, místico e romântico. Quem você é hoje? 
SB - Continuo sendo os três, mas hoje estou mais centrado, mais equilibrado. No início da carreira eu cantava músicas irreverentes de Brenda Lee, Ivon Cury. As italianas mostravam meu lado mais místico, e as músicas espanholas, o lado romântico. 

EGO - Você tem saudade do passado? 
SB - Tenho muita saudade, mas é uma saudade boa, que não me faz sofrer. Vivi muitos momentos intensamente, mas a gente tem é que viver o presente. Estou sempre tentando me renovar. Prefiro mil vezes o agora do que o ontem. 

EGO - Por quê? 
SB - Porque antes era muita euforia. Não se vive direito antes dos 30 anos. É muita ansiedade. Hoje um show meu dura duas, três horas. Eu curto mais a platéia. Antes eu tinha que fugir, as pessoas queriam me agarrar. Hoje eu brinco: ‘Pode agarrar, minha mulher está longe!’(risos). 

[ Fonte: ego.globo.com, 21/09/2008 ]

                                                  Adesivo Promocional


Depoimento de Milton Nascimento:
 "A gente fazia muito teatro em Três Pontas/MG, tocava no grupo escolar, nas festas que tinha, e a gente era muito, como é que se diz, gozador, né. Então tinha umas pessoas lá em Três Pontas que a gente ficava imitando, aqueles negócios todos. E tinha um especialmente, o Silvio Brito, né, que toda festa que tinha ele cantava; ele tinha uma voz parecida com a do Joselito, que era um cantor espanhol daquela época, que era um menino também...  Em todo lugar que a gente ia, estava lá o Silvinho Brito...
O Silvinho é o maior barato, nós todos somos apaixonados por ele"
Bituca ( Milton Nascimento, primo de Sílvio Brito )
[ Fonte (fraase): museuclubedaesquina.org.br ] 
            

MUSEU MUNICIPAL DE VARGINHA/MG


                                       
Sílvio Brito Visita Museu e Anuncia Doação de Instrumentos Musicais

O cantor Sílvio Brito visitou o Museu Municipal de Varginha/MG, esta semana. Na oportunidade, viu como está a sala que leva o nome dele e que contém discos, fotografias, figurino, troféus e objetos pessoais utilizados pelo cantor nas diferentes etapas de sua carreira. O cantor foi recebido pelo diretor do Museu, Cláudio Martins. Sílvio ficou satisfeito em ver a sala que o homenageia. E decidiu doar novos instrumentos: um piano de calda, um violão e uma guitarra. “É uma forma de compartilhar com outras pessoas um pouco da nossa história”, diz.

Em seguida, Sílvio Brito visitou a estação ferroviária, imóvel tombado pelo patrimônio que sedia a Fundação Cultural do Município. Ele lembrou que já andou de trem entre Varginha e Três Pontas. E elogiou o aproveitamento de um imóvel histórico, que estava ocioso e hoje é um centro de cultura. “Para nós é uma satisfação receber mais instrumentos do Sílvio Brito para exposição permanente no Museu Municipal. O Sílvio é um cantor renomado que, apesar de nascido em Três Pontas, escolheu Varginha como cidade do coração, tanto é que hoje possui o título de cidadão varginhense”, afirmou a diretora-superintendente da Fundação Cultural do Município, Paula Andréa Direne Ribeiro.
(Assessoria de Imprensa da Fundação Cultural de Varginha)

Frase:

"Silvio Brito realmente merece um lugar de destaque no museu de Varginha. Ele é uma pessoa maravilhosa, de um coração enorme e que sempre levou o nome de Varginha por este Brasil afora. aonde ele vai realizar show é um sucesso porque carisma,voz tudo issto sobram nele. Como compositor é uma sumidade. Silvio é trespontano mas fala de Varginha como se aqui tivesse nascido"
Maricota ( 23 de Dezembro de 2010 )

[ Fonte: www.blogdomadeira.com.br ]

[ Editado por Pedro Jorge ]


ÁLBUM DE FOTOS / 1996

                               Simone Santos, Sílvio Brito e Pedro Jorge


                         José Nunes ("Gelo"), Sílvio Brito, Pedro Jorge e Marcos


                                Sílvio autografando o LP "Esse Louco Apaixonado"




FESTA DE ARROMBA EM MINAS GERAIS






"Festa de Arromba [ em Minas Gerais ]"
Compositores: Roberto e Erasmo Carlos
Adaptação: Pedro Jorge

1ª parte - Abertura:
Vejam só que festa de arromba
Noutro dia eu fui parar.
Presentes no local o rádio e a televisão,
cinema, mil jornais, muita gente, confusão...
Quase não consigo na entrada chegar,
Pois a multidão estava de amargar.
Hey! Hey! que onda, que festa de arromba!

2ª parte:
Logo que cheguei notei:
Fernando Mendes com o "convite" na mão.
Enquanto Moacyr Franco bancava o anfitrião
Apresentando a todo mundo ( ? ).
Wanderléa ria e Martinha desistia,
De agarrar o doce que do prato não saia.
Hey! Hey! que onda, que festa de arromba!

3ª parte:
O Grupo Mina das Minas tocava na piscina,
Banda SKank no terraço e os Apaches no salão.
Wagner Tiso não podia tocar,
Enquanto a Paula Fernandes não parasse de dançar.

4ª parte:
Mas vejam quem chegou derepente:
Milton Nascimento com o seu novo carrão.
Enquanto o Flávio Venturini e o Lô Borges "cantavam" no jardim,
Beto Guedes e Paulinho Pedra Azul esbarravam em mim.
Lá fora o corre-corre das "garotas" do lugar,
Era o Landau que acabava de chegar.
Hey! Hey! que onda, que festa de arromba!

5ª parte:
E ainda ia chegando muita gente na festa de arromba em Minas Gerais:
Rubinho do Vale, Pereira da Viola, Nalva Aguiar, Juliano César,
Marcelo Costa, Roberto Corrêa, Carlos Farias, Tunai, Téo Azevedo, Tavito, Zé
Paulo Medeiros, Chico Lobo, Saulo Laranjeira, Dércio Marques, Ceumar,
Toninho do Vale, Braz da Viola, Vander Lee, João Bosco, Sílvio César, Rosa
Maria Colyn, Emmerson Nogueira, Toninho Horta, Fernando Brandt.
E até o Milionário, o João Mineiro e os integrantes das bandas Sepultura, Serpente,
Jota Quest e Tianastácia.

6ª parte:
Hey! Hey! que onda, que festa de arromba!

7ª parte:
O Grupo Trem de Minas tocava na piscina,
Pato Fu no terraço e 14 Bis no salão.
Marcus Viana não podia tocar,
Enquanto as Mineirinhas não parassem de dançar.

8ª parte:
Mas vejam quem chegou derepente:
Márcio Greicy com o seu novo carrão
Enquanto o Wando e a Ana Carolina "cantavam" no jardim,
Agnaldo Timóteo e Zé Geraldo esbarravam em mim.
Lá fora o corre-corre das "garotas" do lugar
era o Víctor & Léo que acabavam de chegar.
Hey! Hey! que onda, que festa de arromba!

9ª parte:
E ainda ia chegando muita gente na festa de arromba em Minas Gerais:
Márcio Mendes, Antônio Borba, Márcia Ferreira, Geraldo Nunes, Carlos
Gonzaga, Myllena, Nelson Néd, Nilton César, Cláudia Barroso, Alexandre
Pires, Eduardo Araújo, Maria Alcina, Bilora, Fernado Ângelo, Nila Branco,
Marina Machado,Wilson Sideral, Mariana Rios, José Messias, Tadeu Franco,
os integrantes dos grupos Xicas da Silva, Monte Pascoal, SPC e Armazen.
E até o Rei Pelé, Zé Wilson, Régis Danése e os Padres Zezinho e Fábio de Melo.

10ª parte - Encerramento:
Hey! Hey! que onda, que festa de arromba!

[ Editado por Pedro Jorge, em 26/08/2011 ]




TRIBUTO / Gilberto Lima

Os blogs Vozes Brasileiras e Show do Rádio, o cantor e compositor Sílvio Brito e o comunicador Paulo Francisco prestam um tributo ao saudoso e inesquecível Gilberto Lima.


Gilberto Lima - "O Verdadeiro Comunicador"
Por Paulo Francisco


Mineiro de Varginha, começou bem cedo sua carreira ao lado do Padre Honório na Rádio Clube de Varginha. A Paróquia apresentava o programa Petizada Alegre e Gilberto virou o locutor oficial nos domingos pela manhã.
Desta primeira experiência como locutor ,Gilberto Lima revelou um garoto que participava do Petizada Alegre. Era Silvio Brito, que ainda hoje em todas as entrevistas que concede lembra-se do comunicador.

Gilberto Lima deixou sua cidade natal no começo dos anos 1960 e foi contratado pela Rádio Piratininga. Não passou muito tempo para Gilberto conhecer um outro jovem que despontava e crescia assustadoramente por causa da imensa facilidade  na comunicação. Seu nome? SILVIO SANTOS.

Uma parceria que durou muitos anos e alavancou a carreira  de Gilberto Lima.
Quem ouviu o Gilberto, como eu, percebia o estilo Silvio Santos e não era imitação, como hoje, era mesmo aquele jeito descontraído, rico em criatividade e emoção. Gilberto Lima possuía uma das mais belas vozes do Rádio brasileiro e quando chegou ao Rio de Janeiro, a oportunidade foi na Rádio Mauá, por onde também passaram alguns importantes nomes do dial carioca na época.

Foi também  com a presença do amigo Gilberto, que Silvio Santos voltou ao Rádio do Rio de Janeiro, com o seu programa patrocinado pelo BAÚ DA FELICIDADE. Desta vez pela Rádio Nacional Am 1.130, onde ele organizava tudo para Silvio. O sucesso foi extraordinário!

Nesta época, meados dos anos 1970, a grande emissora carioca e uma das maiores da América Latina, era sem dúvida a Globo 1220. A Nacional já não era neste tempo a grande Rádio que fora nos anos 1950 e 60, mas se mantinha pela tradição e alguns bons profissionais, enquanto a Rádio Globo, dirigida por Mário Luiz tinha uma verdadeira seleção, com Adelzon Alves, Luciano Alves, Paulo Moreno, Paulo Giovanne, Valdir Vieira, Roberto Figueiredo, Carlos Bianchini e Haroldo de Andrade no auge e um time de noticiaristas dos melhores. Trabalhar no SGR era realização para qualquer profissional e a oportunidade surgiu em 1977.

Um amigo de Gilberto, avisou-o:
__Ô Gilberto o Mário Luiz te ligou, lá da Globo.
Gilberto pensou que fosse brincadeira e não deu muita bola, mas depois percebeu que o assunto era sério. Ligou e acertou tudo com Mário Luiz.

Com a morte de Paulo Moreno, um locutor de muito prestígio  que fazia o programa as 07:30 da manhã, Paulo Giovanne ocupou o horário e Valdir Vieira do Show da Noite ganhara o programa da tarde e se tornaria um ícone nos anos seguintes.

Mário Luiz então contratou Gilberto Lima e lhe ofereceu, um programa que já sido apresentado, por Valdir Vieira, Roberto Figueiredo Áureo Ameno e outros.
É exatamente aqui, em 1978, que começa a minha história (Paulo Francisco).
Gilberto Lima foi para mim, a principal referência em comunicação e uma grande inspiração no início da minha carreira.
Que comunicação! Que Voz! Que alegria! Que educação!
Que presença de espírito!
Era o maior  exemplo de um verdadeiro comunicador.

Sempre valorizava os companheiros da técnica, como o Paizinho, Pato Preto, Cafuringa e outros. O Show da Noite com Gilberto Lima começava as 21:05, logo após a edição de “O GLOBO NO AR “ que era geralmente apresentada por LUIZ DE FRANÇA e só terminava a 00:00 com “O SEU REDATOR CHEFE”. O produtor do programa, me lembro muito bem era BORELI FILHO, o mesmo que durante muitos anos atuou na famosa Revista do Rádio.

Era realmente um Show da Noite. Um show  que tinha como principal atração a participação ao vivo por telefone dos ouvintes.
De vez em quando Gilberto era substituído por um locutor chamado Humberto Campos, que trabalhava na Mundial 860.
A interpretação de textos e a habilidade de Gilberto Lima era simplesmente espetacular e por isso foi convidado para ser a voz padrão do Fantástico.

Começo dos anos 1980, que Rádio Globo espetacular! Quando de repente uma tragédia acontece. Valdir Viera, uma das grandes audiências da Globo e um cara muito querido do povo, é encontrado morto dentro de um motel com sua prima e amante. Uma  comoção geral no Rio e em todo o Brasil. Primeira opção encontrada pelo Dir. Mário Luiz, foi colocar o Eloy de Carlo, mas ninguém conseguia substituir Valdir Vieira e foi aí que Gilberto Lima foi  chamado para um novo desafio, ocupar um programa no final da tarde, enquanto o Bianchini fazia o horário de Valdir .

 Abria-se aí uma nova vaga no Show da Noite, que foi ocupada por Luiz de França. O noticiarista virou comunicador e Gilberto, por seu talento indiscutível continuava  imbatível das 17:00 as 18:45.

Gilberto Lima fez um curso, patrocinado pela emissora para aprender a rezar, pois ás 6 da tarde na Tupi, Júlio Louzada tinha a famosa oração que arrebatava uma audiência considerável. O Padre Jairo da Lauba então rezava junto com o comunicador todas as tardes e foi  o primeiro padre a fazer sucesso na GLOBO 1220 (Hoje Pe. Marcelo Rossi é grande audiência nas manhãs).

Que saudade incrível eu sinto desse maravilhoso comunicador. Gilberto Lima era realmente fantástico e sempre conseguia ouvi-lo com meu rádio em ondas curtas na minha cidade de Anápolis, aqui em Goiás.

Certo dia, liguei na Globo e lá não estava o Gilberto Lima. O que aconteceu? Em pouco tempo a notícia saía e me machucava profundamente. Gilberto estava morto, sozinho em sua cama.

Gilberto tomava remédios controlados, medicamentos fortíssimos e ás vezes se descuidava, esquecendo-se dos medicamentos. Desmaiou sozinho e sufocado na parede, sofreu uma parada cardíaca.

Busquei em vários lugares algum áudio do meu comunicador preferido e não achava. Consegui algumas orações  através do CEDOPE no SGR e exatamente neste começo de ano de 2010, um presente especial para todos os fãs de Gilberto Lima. O Show do Rádio garimpou  e  achou uma relíquia para os amantes do rádio, um programa completíssimo do dia 24 de Agosto de 1982. Na gravação aparecem além de Gilberto Lima, os repórteres Paulo Ricardo e Rulian Silva e o noticiarista Otávio Filho numa edição de O Globo no ar.

Neste mês, produzi um DVD com todos os audios que encontrei de Gilberto Lima e brevemente colocarei a disposição dessa gente, que como eu, é apaixonada por Rádio e principalmente pela Rádio Globo do Rio dos anos 1970 e 80.

Pra terminar, lembro-me de uma vinheta incrível que era usada as noites em 1978 e dizia assim com um sotaque parecido com Luiz Gonzaga: GILBERTO LIMA ONDE É QUE TU TÁ? E ele dizia com sua alegria: Na Globo. Saudade imensa de Gilberto Lima... O verdadeiro comunicador!

[ Fonte: www.showdoradio.com.br ] / [ Editado por Pedro Jorge, em 05/09/2011 ]

Gilberto Lima Volta Para o Show da Noite

Os meses de dezembro, janeiro, fevereiro e março últimos foram bastante diferentes para o comunicador da Rádio Globo, Gilberto Lima. Pela primeira vez no Brasil, como ele próprio diz, o comunicador substituiu quase todos os outros comunicadores da emissora. O primeiro foi Waldir Vieira. Depois, Roberto Figueiredo, Mário Luiz. No mês de março ele ficou substituindo a Haroldo de Andrade e, finalmente, em abril ocupou as férias de Paulo Giovanni.
"Para mim foi muito importante fazer esse tipo de coisa porque a partir daí eu fiquei conhecido praticamnete em todos os horários da emissora que é líder de audiência em todo o Brasil."

Gilberto começou suas atividades radiofônicas em sua cidade natal Varginha, em Minas Gerais e diz: "Já aos 8 anos de idade, ao lado do hoje cantor Sílvio Brito, eu fazia uma participação na Rádio Clube de Varginha. Depois fui para São Paulo e trabalhei em várias rádios. Em maio volto a apresentar diariamente, na Globo o meu Show da Nouite que tem início ás 21 horas e vai até as 24.

[ Fonte: Revista "Amiga", s/d ] / [ Editado por Pedro Jorge, em 10/09/2011 ]


CONTATOS PARA SHOWS
Sílvio Brito - Telefone: (11) 5572.6301 

Agência Delphos (agenciamento artístico) -
Site: www.agenciadelphos.com.br
Telefone: (11) 3045.2328

SAIBA MAIS
Site Oficial: www.silviobrito.com.br
Blog Oficial: cantorsilviobrito.blogspot.com

2 comentários:

  1. silvio comcordo com a sua opiniao pois viramos escravos de uma midia formada de erdeiros ,e de pessoas esploradoras que so visao o lucro e a fama ,nao se importando com a qualidade de seus produtos ,e acham que sao a elite do povo brasileiro ,mas falta muito pra isso principalmente ser brasileiro,pois midia brasileira numca foi brasileira ,deixamos nos dominar vendemos nosso pais ,nos fantasiamos de palhaços em pleno funeral, onde deveriamos estar de luto.silvio@mota.com.br

    ResponderExcluir
  2. Amigo leitor confira o artigo escrito por mim e dedicado ao programa Sílvio Brito em Família, no blog Arapiraca Legal.
    ACESSE
    http://arapiracalegal.wordpress.com/artistas-arapiraquenses/artigo-da-semana-2/
    Abs, Pedro Jorge.

    ResponderExcluir